• Hall de Entrada
  • Hall de Entrada. Clarabóia
  • Busto Professor Bissaya Barreto
  • Hall de Entrada
  • Sala de Estar
  • Sala de Estar
  • Sala de Estar
  • Sala de Jantar
  • Biblioteca
  • Gabinete de Trabalho
  • Quarto
A porta abre-se lentamente. Vemos um átrio revestido de azulejos, com uma mesa redonda ao centro...

Pierre Goemaere (1944)

Entrada

O visitante é recebido no piso superior, ao qual acede por elegante escadaria bifurcada.

hall, de planta octogonal, é pavimentado a mármore branco e rosa e forrado por azulejos policromados de maçaroca; actualmente, a mesa de mármore colocada ao centro sustenta um busto do anfitrião e patrono da Casa. Uma imensa clarabóia recoberta de vitrais coloridos sobrepuja este conjunto, do qual sobressai uma magnífica lanterna em ferro forjado da autoria de Lourenço Chaves de Almeida, reputado artesão conimbricense.

Área Social

Por uma lindíssima porta, também em ferro forjado, dá-se entrada no salão ao estilo francês do séc. XIX, com teto pintado. Destacam-se neste espaço, a escultura em mármore de alabastro italiano da autoria de Pochyni e Fiaschi (séc. XX) e um fresco de Fausto Gonçalves. Já na contígua sala de jantar, com teto de madeira em forma de caixotão e belíssimos frisos de azulejo, ressalta o mobiliário de estilo Império inglês. Apesar dos estilos diferentes, numa como noutra divisão sobressaem o requinte do gosto e a sensibilidade artística do Professor.

Área de Trabalho

Pela porta da direita acede-se à acolhedora e luminosa biblioteca revestida por estanteria em madeira pintada com delicados motivos figurativos, de expressão bucólica, que jogam em perfeita harmonia com a temática retratada nas pinturas do teto. Por uma porta envidraçada acede-se ao gabinete de trabalho do Professor, também revestido por estantes, estas em mogno, de severo recorte.

Área Privada

Neste sector mais recolhido da casa, o quarto de dormir revela, uma vez mais, o gosto requintado mas sóbrio de Bissaya Barreto, evidente na escolha e qualidade das suas peças religiosas e decorativas.

Galerias de Arte

A conversão de quatro pequenas salas numa ampla divisão permitem hoje aceder a uma galeria em que se expõem outras peças de arte pacientemente reunidas, ao longo dos anos, pelo Professor; aqui é possível apreciar belíssimas porcelanas da China, esculturas em mármore de Carrara e alabastro italiano e obras de pintura de reconhecidos artistas. Da mesma forma recolhem, em sala contígua, exemplares de bela faiança portuguesa.

Os corredores que circundam o hall de entrada com os seus belos azulejos do século XVII, expõem parte da rica colecção de pintura portuguesa.

Numa outra galeria, destaque para duas grandes telas de Eduardo Malta: alegorias às ex-colónias portuguesas de África e do Oriente e que estiveram expostas na grande exposição O Mundo Português de 1940.

Sala Polivalente

A entrada de acesso ao piso inferior conduz hoje a uma sala polivalente, onde se privilegiam realizações culturais e eventos diversos, substituindo assim a sua original função de adega e arrumos.