• Teto Sala de Estar
Sem fausto, sem pretensões a coleccionador de arte, (Bissaya Barreto) adquiriu numerosas obras e peças decorativas, de mobiliário, de cerâmica, de escultura, e sobretudo de pintura de reconhecido interesse e valor.

 

Telo de Morais 

ARTES DECORATIVAS

  • PINTURA DECORATIVA
  • A beleza dos gessos e da pintura de teto da sala de estar, da autoria de Fausto Gonçalves, as pinturas bucólicas que decoram a sala de jantar e a biblioteca asseguram ambientes acolhedores de grande harmonia temática e decorativa.
  • FERRO
  • São de belíssimo recorte os diversos gradeamentos, portões e outras aplicações em ferro forjado executadas por Lourenço Chaves de Almeida (1876-1952), o “trovador do ferro” como lhe chamou o poeta Afonso Lopes Vieira, pela mestria da técnica e sensibilidade com que este burilador e escultor do ferro conferiu apurado sentido artístico a todos os seus trabalhos.
  • CANTARIA
  • No exterior, com linhas sóbrias mas elegantes, sobressaem os bancos e balaustradas em cantaria e, bem assim, a escadaria bifurcada de acesso ao piso principal da casa. No interior, merecem destaque os fogões de sala e os umbrais das cinco portas que se abrem a partir do hall.

AZULEJARIA

  • JARDIM
  • São notabilíssimos os painéis de azulejos barrocos recortados, de fabrico lisboeta, que forram o interior do muro alto que circunda o jardim (séc. XVIII).
  • ALPENDRE DA ENTRADA INFERIOR
  • Magnífico conjunto de azulejos a azul e branco, não figurativos, provenientes de antigo convento da região (séc. XVI).
  • RESIDÊNCIA
  • Destacam-se os alizares de azulejos policromados com motivos maçaroca do séc. XVII, recuperados de edifícios demolidos, e os azulejos setecentistas da oficina de Salvador de Souza com iconografia de temática religiosa. Os lambris do salão e da sala de jantar mostram ainda interessantes composições ora de azulejo avulso, a azul e branco, do séc. XIX, ora de azul e branco, ora de azulejo policromado da 1º metade do séc. XIX

PINTURA

  • Assinam obras do naturalismo português pintores tão reputados como José Malhoa, Fausto Gonçalves, Eduarda Lapa, Souza Pinto, José de Brito, Maria de Lourdes de Mello e Castro, José Girão, Fausto Sampaio, ou Alberto Sousa. Ainda de nomeada, trabalhos de António Gameiro, Túlio Vitorino, Artur Loureiro, Júlio Pina, Simão da Veiga, João Reis, José Contente, entre outros.

ESCULTURA

  • Coleção de peças escultóricas (bustos e estatuária, de pequena e grande dimensão) executadas em pedra, em bronze e mármore, de proveniência portuguesa e italiana.

PORCELANAS E FAIANÇAS

  • Para além das peças notáveis em porcelana da China, na sua grande maioria Companhia das Índias, ou da coleção de porcelanas europeias, a cerâmica popular conquistou igualmente o apreço do Professor. Facto que atesta a presença de belos exemplares de faiança portuguesa, dos sécs. XVIII e XIX, proveniente das primitivas fábricas de olaria do país.